Aba 1

Postado em 28 de Fevereiro de 2020 às 10h54

CAMPANHA DA FRATERNIDADE – POR QUE A VIDA?

Diocese (38)Artigos (8)
Diocese de Chapecó/SC A Campanha da Fraternidade (CF), nos outros anos, abordava um problema da vida social, ou uma situação da vida humana. Neste ano, trata da própria vida. Somos animados, nesta quaresma, a nos converter...

A Campanha da Fraternidade (CF), nos outros anos, abordava um problema da vida social, ou uma situação da vida humana. Neste ano, trata da própria vida. Somos animados, nesta quaresma, a nos converter ao projeto de Deus, vivendo a vida como dom e fazendo de nossas vidas um compromisso com a vida dos irmãos e irmãs. O que temos de mais importante na vida é a vida. E esta vida - este é o desejo de Deus que a criou - é para ser compartilhada, doada, convivida, entregue aos outros, à comunidade, ao povo. Ou seja, a CF, como expressa seu objetivo, é para nos “conscientizar, à luz da Palavra de Deus, para o sentido da vida, que é dom e compromisso”. A vida acontece em relações com as pessoas, com Deus e com a natureza. Por isso, o dom e compromisso “se traduzem em relações de mútuo cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade, na sociedade e no planeta, nossa Casa Comum”.

Assim, a CF nos diz: Viver a fraternidade e converter-se na quaresma, é a gente cuidar mais da vida, em suas diversas formas e etapas e situações. O sentido da vida está em doar a vida. Aliás, no universo nada existe para si mesmo. Tudo que existe, existe em função do todo, das demais coisas. Pensemos na luz, na água, nas frutas, nos princípios ativos das plantas, no húmus da terra, nos dons humanos, no tempo de nossa vida. Tudo é dom divino, mas para o compartilhamento, para fazermos de nossa vida um dom a ser ofertado permanentemente ao próximo e ao projeto de Deus. E essa vida precisa de cuidado. Sempre! Cuidar é, em nosso tempo, sinônimo de amar; cuidado, sinônimo do mandamento do amor.

O cristianismo é a religião da vida, do amor e do cuidado. O que tem de crença, de doutrina, de ritos, de instituições somente têm seu pleno sentido quando isto servir para a vida. Como Jesus, que veio para que todos tenham vida com plenitude. E não veio para ser servido, nem para servir-se das coisas e dos outros, em benefício próprio, mas para servir e doar a vida. O caminho da fraternidade passa pela vida como dom e compromisso com nosso próximo, especialmente com quem tem a vida fragilizada. Fora disso, é reduzir a vida, é torná-la mesquinha, é trair seu sentido.

O texto-base da CF nos faz um questionamento sério: “O que está acontecendo conosco? O que vem ocorrendo com a humanidade que, embora perceba o aumento dos números de sofrimentos, parece não mais se sensibilizar com eles? Será que deixamos se perder o sentido mais profundo da vida? Com tanto consumismo e correria atrás das coisas e mercadorias, não estamos nos esquecendo do sentido maior de nossa existência? Por que vemos crescer tantas formas de violência, agressividade e destruição, e não nos comovemos nem nos movemos para ações e agir de solução?... Perdemos, de fato, o valor da fraternidade?” (cf. Texto-Base, p. 7)

 

Pe . Ivo Pedro Oro | Paróquia São Miguel Arcanjo , São Miguel do Oeste

Veja também

PLANO DIOCESANO: "Deixemo-nos guiar pela luz do Senhor" para ver na fé11/03/20 No texto passado iniciamos a apresentação do nosso Plano Diocesano de Pastoral. Em cada mês iremos conhecer uma parte do texto. O objetivo desta transcrição é possibilitar que mais pessoas conheçam o que foi assumido como Diocese para este quadriênio. Neste mês, iniciaremos com o ver a realidade (números 8 a 13 do Plano). De modo especial, o que......

Voltar para Notícias


Uso de Cookies

Nós utilizamos cookies com o objetivo de oferecer a melhor experiência no uso do nosso site. Ao continuar sua navegação, você concorda com os nossos Termos de Uso.