Aba 1

Postado em 11 de Março às 15h03

Plano Diocesano de Pastoral: conhecer para assumir

Diocese (32)Artigos (8)
Diocese de Chapecó/SC No triênio 2017 a 2019, como Povo de Deus da Diocese de Chapecó, trilhamos um intenso processo celebrativo rumo ao jubileu de diamante da nossa Diocese. Muitas ações evangelizadoras foram...

No triênio 2017 a 2019, como Povo de Deus da Diocese de Chapecó, trilhamos um intenso processo celebrativo rumo ao jubileu de diamante da nossa Diocese. Muitas ações evangelizadoras foram construídas neste tempo jubilar, dentre as quais destacamos o processo da 10ª Assembleia Diocesana de Pastoral e a construção sinodal deste Plano Diocesano de Pastoral. O presente Plano terá uma vigência de quatro anos e está em sintonia com os dois grandes eixos inspiradores das atuais Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil: comunidade e missão.

Mas, na verdade, o que isso significa de concreto para o dia a dia de nossa vida e de nossa ação evangelizadora? Ora, isso poderá fazer a diferença, porque ser cristão implica, entre outros aspectos, viver em comunidade (At 4,32-33) estabelecendo vínculos, muitas vezes mais fortes do que os laços de sangue (Lc 8,19-21). Desperta igualmente o desejo de transbordar essa experiência para todas as criaturas até os confins da terra (At 1,8). Por isso, não se pode separar uma dimensão da outra. Comunidades que não geram missionários são tristes expressões da esterilidade de quem perdeu o rumo na vivência do Evangelho. E missionários que não se fundamentam na vida em comunidade correm o risco de se tornarem andarilhos solitários, sem referências para sua atuação.

Nascida e alimentada no coração da vida comunitária, a missão gera novas comunidades e, nesse movimento, interpela a sociedade, chamando todos à conversão.
Portanto, a missão motiva e fortalece as pequenas comunidades eclesiais missionárias, representadas nas atuais Diretrizes pela simbologia da Casa e seus quatro pilares: a Palavra, o Pão, a Caridade e a Ação Missionária. 

Ao apresentar portanto, este plano às nossas paróquias, comunidades e a todas as forças vivas da vida da Igreja diocesana (pastorais, grupos, movimentos eclesiais e organismos), quero convidar vocês, queridos irmãos e irmãs, a partir do seu lugar na Igreja, para conhecer, aprofundar e trabalhar, com alegria e de todo coração, na sua implementação, assumindo, com a coragem da fé e ousadia missionária, os diferentes projetos e suas respectivas propostas de ações, conforme os quatro grandes pilares, citados acima. 

Peçamos que a sabedoria, a força e o amor do Espírito Santo, o primeiro protagonista da Evangelização, nos conduza a esse bom propósito de nossa família diocesana.
Que nosso esforço para encaminhar e colocar em prática este Plano Diocesano de Pastoral nos fortaleça ainda mais, na convicção de que “a missão renova a Igreja, revigora sua fé e identidade, dá-lhe novo entusiasmo e novas motivações. É dando a fé que ela se fortalece” (RMi, n.2).
Oremos para que Santo Antônio, padroeiro de nossa Diocese, e a peregrina Mãe Aparecida nos ajudem nesta empreitada missionária e neste caminho que trilharemos. Estamos juntos na missão! 

Dom Odelir José Magri, MCCJ | Bispo diocesano

*   *   *   *   *

A partir da fala de dom Odelir, presente acima, neste primeiro artigo de apresentação do Plano Diocesano de Pastoral 2020-2023, fazemos três destaques, vigente já neste quadriênio 2020-2023: uma breve introdução, o objetivo geral e a estrutura do texto.

a) Introdução
A Diocese de Chapecó foi criada aos 14 de janeiro de 1958. Sua instalação ocorreu no dia 25 de abril de 1959. Atualmente fazem parte da Diocese de Chapecó 80 municípios catarinenses, com 40 paróquias e 1488 comunidades. De acordo com a estimativa do IBGE, para 2019, a sua população é de 817.863 habitantes.

No decorrer de sua história a Diocese sempre valorizou os espaços colegiados de reflexão, decisão e encaminhamentos. As Assembleias Diocesanas de Pastoral são uma expressão deste espírito colegiado. Um dos frutos gerados pelas Assembleias foram os Planos Diocesanos de Pastoral ou as Diretrizes da Ação Evangelizadora.

De 2017 a 2019, a Diocese vivenciou intenso processo celebrativo pelo seu jubileu de diamante, com o lema “Deixemo-nos guiar pela luz do Senhor” (Is 2,5), tendo a vela como símbolo. Muitas ações evangelizadoras foram construídas nesse tempo jubilar, dentre as quais se salienta a 10ª Assembleia Diocesana de Pastoral.

O Plano Diocesano de Pastoral é fruto desse caminhar histórico e busca contemplar tanto os anseios do povo de nossa Diocese, quanto as orientações do Magistério da Igreja, em especial os documentos do Papa Francisco, e as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil e em Santa Catarina.

b) Objetivo geral

Acolhendo a orientação dos Bispos do Brasil, este Plano de Pastoral, especialmente diante da cultura urbana, cada vez mais abrangente, assume o seguinte objetivo geral para o próximo quadriênio: EVANGELIZAR, no contexto do Oeste catarinense cada vez mais urbano, pelo anúncio da Palavra de Deus, formando discípulos e discípulas de Jesus Cristo, em comunidades eclesiais missionárias, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, cuidando da Casa Comum e testemunhando o Reino de Deus rumo à plenitude.

c) Estrutura do Plano

O Plano Diocesano de Pastoral está estruturado a partir do método Ver-Julgar-Agir. De modo sucinto, neste mês, apresentamos os títulos gerais do texto. Nas próximas edições do Jornal iremos aprofundar cada um dos temas e proposições do Plano.

Deixemo-nos guiar pela luz do Senhor... PARA VER NA FÉ
1- A cultura urbana
2- O Oeste de diversidades e contradições
3- Luzes e sombras da realidade eclesial


Deixemo-nos guiar pela luz do Senhor... PARA JULGAR NA FÉ

1- Iluminação bíblica
1.1- Isaías 2,1-5
1.2- Marcos 10,46-52
2- A comunidade eclesial missionária
3- Os pilares das comunidades eclesiais missionárias


Deixemo-nos guiar pela luz do Senhor... PARA AGIR NA FÉ
1- Pilar da Palavra: iniciação à vida cristã e animação bíblica da vida e da pastoral
2- Pilar do Pão: liturgia e espiritualidade
3- Pilar da Caridade: a serviço da vida
4- Pilar da Ação Missionária: estado permanente de missão

Planejar é pensar a ação antes, durante e depois dela. Um bom plano, que contribui para a ação evangelizadora, é sempre fruto de um processo de planejamento, com a participação direta ou representativa de toda a comunidade eclesial, em cujo esforço todos, incluídos leigos e leigas, têm o direito e o compromisso “de participar do discernimento, da tomada de decisões e da execução” (DAp, n. 371).

Veja também

Secretárias se reúnem em Cunha Porã25/04/18 Nesta terça-feira (25) as paróquias da diocese estavam vazias. O motivo é que em Cunha Porã as secretárias realizaram  a primeira reunião deste ano. Pela manhã o momento foi de esclarecer dúvidas e fazer encaminhamentos contábeis, com a equipe de assessoria Benincá, que auxilia a diocese em assuntos contábeis.  Na parte da......
Diocese finaliza primeira rodada de visita às Regiões Pastorais 22/03/18 Nesta quarta-feira, 21, encerramos a primeira rodada de visitas as nove Regiões Pastorais da diocese que iniciarma no dia 20 de fevereiro. Realizadas ao menos duas vezes ao ano, elas tem como objetivo acompanhar a vida pastoral das Regiões......

Voltar para Notícias