Aba 1

Postado em 07 de Fevereiro às 08h29

PALAVRA DO BISPO - Fevereiro 2020

Mensagem (18)Geral (36)
Diocese de Chapecó/SC Plano Diocesano de Pastoral No triênio 2017 a 2019, como Povo de Deus da Diocese de Chapecó, trilhamos um intenso processo celebrativo rumo ao jubileu de diamante da nossa Diocese. Muitas...

Plano Diocesano de Pastoral


No triênio 2017 a 2019, como Povo de Deus da Diocese de Chapecó, trilhamos um intenso processo celebrativo rumo ao jubileu de diamante da nossa Diocese. Muitas ações evangelizadoras foram construídas neste tempo jubilar, dentre as quais destacamos o processo da 10ª Assembleia Diocesana de Pastoral e a construção sinodal deste Plano Diocesano de Pastoral.

O presente Plano terá uma vigência de quatro anos e está em sintonia com os dois grandes eixos inspiradores das atuais Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil: comunidade e missão.

Mas, na verdade, o que isso significa de concreto para o dia a dia de nossa vida e de nossa ação evangelizadora? Ora, isso poderá fazer a diferença, porque ser cristão implica, entre outros aspectos, viver em comunidade (At 4,32-33) estabelecendo vínculos, muitas vezes mais fortes do que os laços de sangue (Lc 8,19-21). Desperta igualmente o desejo de transbordar essa experiência para todas as criaturas até os confins da terra (At 1,8). Por isso, não se pode separar uma dimensão da outra. Comunidades que não geram missionários são tristes expressões da esterilidade de quem perdeu o rumo na vivência do Evangelho. E missionários que não se fundamentam na vida em comunidade correm o risco de se tornarem andarilhos solitários, sem referências para sua atuação.

Nascida e alimentada no coração da vida comunitária, a missão gera novas comunidades e, nesse movimento, interpela a sociedade, chamando todos à conversão.
Portanto, a missão motiva e fortalece as pequenas comunidades eclesiais missionárias, representadas nas atuais Diretrizes pela simbologia da Casa e seus quatro pilares: a Palavra, o Pão, a Caridade e a Ação Missionária. Estas comunidades apresentam algumas marcas:

• são formadas por pessoas discípulas missionárias de Jesus Cristo em diferentes espaços e situações: nos condomínios, nos bairros, na cidade, na roça, nas aldeias, nas ruas e nos grupos por afinidades;

• caracterizam-se como comunidades de portas abertas para acolher a todos e para sair ao encontro das pessoas, para amá-las em suas realidades concretas, mais comprometidas com a cultura urbana em que vivemos e no cuidado da casa comum;

• são lugares da iniciação à vida cristã, da celebração eucarística, do compromisso com os pobres, da abertura para com os jovens, da atenção especial às crianças e pessoas idosas, do anúncio do Evangelho da família;

• enfim, nelas somos convocados a seguir o caminho da solidariedade ativa a partir dos marginalizados. Atuar em rede – comunidade de comunidades – e em comunhão com a Diocese, com seus pastores e por meio dos Conselhos de Pastoral nos diversos níveis.

Ao apresentar portanto, este plano às nossas paróquias, comunidades e a todas as forças vivas da vida da Igreja diocesana (pastorais, grupos, movimentos eclesiais e organismos), quero convidar vocês, queridos irmãos e irmãs, a partir do seu lugar na Igreja, para conhecer, aprofundar e trabalhar, com alegria e de todo coração, na sua implementação, assumindo, com a coragem da fé e ousadia missionária, os diferentes projetos e suas respectivas propostas de ações, conforme os quatro grandes pilares, citados acima.
Peçamos que a sabedoria, a força e o amor do Espírito Santo, o primeiro protagonista da Evangelização, nos conduza a esse bom propósito de nossa família diocesana.
Que nosso esforço para encaminhar e colocar em prática este Plano Diocesano de Pastoral nos fortaleça ainda mais, na convicção de que “a missão renova a Igreja, revigora sua fé e identidade, dá-lhe novo entusiasmo e novas motivações. É dando a fé que ela se fortalece” (RMi, n.2).
Oremos para que Santo Antônio, padroeiro de nossa Diocese, e a peregrina Mãe Aparecida nos ajudem nesta empreitada missionária e neste caminho que trilharemos. Estamos juntos na missão!

Dom Odelir José Magri, MCCJ
Bispo Diocesano de Chapecó

Veja também

Dia Mundial do Pobre - por Pe. Nelito Dornelas12/11/18 Neste dezoito de novembro, um domingo antes da festa de Cristo Rei do Universo e dia dos cristãos Leigos e Leigas, a Igreja celebra o Dia Mundial do Pobre, concluindo uma Jornada Mundial do Pobre com uma semana de duração. Este dia foi instituído pelo Papa Francisco com o objetivo de perpetuar os frutos da celebração do ano da misericórdia. O pobre ocupa a......
Palavra do Bispo - Abril 201926/03/19 Semana santa: abrir as portas do nosso coração Mas que significa viver a Semana Santa para nós? É acompanhar Jesus no seu caminho rumo à Cruz e à Ressurreição. Em sua missão terrena, ele......

Voltar para Notícias