Aba 1

Postado em 26 de Julho de 2019 às 15h15

Palavra do Bispo - Agosto 2019

Destaque (83)Diocese (39)

Despertar uma Cultura Vocacional nas nossas paróquias e comunidades

Diocese de Chapecó/SC Despertar uma Cultura Vocacional nas nossas paróquias e comunidades De 10 a 14 de julho de 2019, em Santo Antônio da Patrulha, diocese de Osório (RS), realizou-se o 3º. Congresso Missionário Nacional...

De 10 a 14 de julho de 2019, em Santo Antônio da Patrulha, diocese de Osório (RS), realizou-se o 3º. Congresso Missionário Nacional de Seminaristas, em sintonia com o Mês Missionário Extraordinário, de outubro de 2019. Teve como tema: “Batizados e enviados, a Igreja de Cristo em missão no mundo”, e o lema: “Sereis minhas testemunhas [...] até os confins da terra” (At 1,8).


Do mesmo modo, a Igreja do Brasil se prepara para celebrar o IV Congresso Vocacional, a ser realizado entre os dias 05 a 08 de setembro próximo, no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, com o tema: “Vocação e Discernimento”. Para realizar a obra do discernimento, os jovens e adolescentes precisam do acompanhamento de todas as forças vivas da comunidade de fé: animadores vocacionais e juvenis, familiares e amigos, lideranças e coordenações da comunidade, padres e leigos aptos e disponíveis a realizar o trabalho que a obra exige.


Foi com esse mesmo espírito que a nossa Diocese aderiu recentemente ao projeto “Cada comunidade uma nova vocação” como uma ação evangelizadora, fundamentada no Evangelho: “Pedi ao Senhor da messe que envie operários para a sua messe” (Mt 9,38). Todas essas iniciativas visam a fortalecer uma cultura vocacional na Igreja, despertar as mais variadas vocações e criar um ambiente positivo nas nossas comunidades no que se refere às vocações, além de apoiar e sustentar espiritualmente aos que já responderam ao chamado de Deus.


Ao refletirmos sobre o Serviço de Animação Vocacional, ou propriamente a Pastoral Vocacional, depressa somos levados erroneamente a pensar que a mesma se reduz ao serviço de promover as vocações específicas: sacerdotais, religiosas e missionárias. O trabalho vocacional é muito mais amplo e exigente, pois indica que se deve percorrer um longo itinerário vocacional que começa no batismo de todo cristão, e que a primeira vocação à qual somos chamados é à vida.


Toda vocação nasce a partir do batismo, como já afirmavam as reflexões do 2º. Ano Vocacional do Brasil (2003). E como toda vocação nasce do batismo, ela deve ser cultivada no seio da família e da comunidade eclesial, que tem a missão de ajudar na confirmação e fortalecimento de cada vocação. Por isso, toda vocação exige cultivo, terreno fértil, oração na família e na comunidade, de modo que todas as vocações encontrem seu lugar e sua missão. Pelo batismo somos chamados a ser “discípulos missionários de Jesus Cristo em favor da vida”, já nos recordou a Conferência de Aparecida.


Na Exortação Apostólica “Pastores Dabo Vobis” (cf. PDV, 34), de João Paulo II, lemos: “O cuidado que a Igreja deve ter com as vocações não é uma simples parte de uma pastoral global, mas uma dimensão conatural e essencial de toda a evangelização”. O sentido da animação vocacional é um dever de toda a comunidade cristã, a qual, pelo testemunho de uma vida plenamente cristã, se torna mediadora da vocação divina (cf. OT, 2). Dentro desta perspectiva, a paróquia e todas as comunidades a ela ligadas devem se comprometer com o serviço de animação vocacional, animados pela Equipe Vocacional Paroquial que é a locomotiva de frente nesse serviço.


A animação vocacional procura incentivar a ação de toda a Igreja, de toda a comunidade e de suas pastorais e movimentos eclesiais afins, no sentido de mediar o chamado divino dirigido a todas as pessoas. É preciso insistir e desenvolver uma atividade vocacional permanente. E, nesse sentido, quero reconhecer com alegria a bonita experiência que estamos vivendo de rezar constantemente pelas vocações: em todos os eventos de Igreja, reuniões de pastorais, grupos, movimentos eclesiais e serviços que incluem a oração de uma dezena do rosário pelas vocações, em sua abertura ou conclusão. O empenho nesse sentido dos ministros extraordinários da comunhão eucarística, das zeladoras de capelinhas, do Apostolado da Oração e outros grupos, todos chamados a serem os guardiões da oração pelas vocações. Sem esquecer o maravilhoso compromisso de catequistas e catequizandos que levam a capelinha para suas casas e em família rezam pelas vocações.


Enfim, quando o bispo e os padres se tornam os primeiros animadores vocacionais, a Diocese e as paróquias passam a redescobrir o valor e a importância de rezar, cuidar e promover as vocações. Isso é o que chamamos promover uma “cultura vocacional”. Portanto, uma paróquia toda “vocacionalizada” será uma paróquia onde as pessoas terão o prazer de participar na alegria e colaborar com entusiasmo nos vários serviços e ministérios. Uma pastoral, ou movimento eclesial, que tem a consciência vocacional do chamado divino gera testemunho de vida, amplia a ação pastoral, atrai e cultiva as vocações específicas para o sacerdócio presbiteral, para a vida consagrada, para a família e para os ministérios leigos.


Eu acredito e sei que você também acredita no projeto: “em cada comunidade novas vocações”. Assim sendo, na alegria do Jubileu de 60 anos de nossa Diocese, vamos juntos vestir essa camisa, abraçar e fortalecer sempre mais a Pastoral Vocacional. “Mostra-nos, Senhor, os teus caminhos” (Sl 25,4).

Dom Odelir José Magri, MCCJ
 

Veja também

Jornada Vocacional Missionária na Diocese de Chapecó iniciará no dia 22 de julho12/07/18 De 22 de julho a 23 de agosto, a Diocese de Chapecó receberá o Símbolo (barco) e o Ícone Vocacional (Discípulo Amado) da Jornada Vocacional Missionária do Regional Sul 4 da CNBB.  Esta faz parte da Ação Evangelizadora "Cada Comunidade uma Nova Vocação", cuja abertura oficila no regional foi no dia 02 de fevereiro, em Joaçaba.......
Cartas do Papa Francisco são entregues em santa missa em Saudades30/08 Marcado como um momento único, as cartas enviadas pelo Vaticano em nome do Papa Francisco chegaram em seu destino: nas mãos da família de cada vítima daquele 4 de maio inesquecível e doloroso. As cartas foram entregues......

Voltar para Notícias


Uso de Cookies

Nós utilizamos cookies com o objetivo de oferecer a melhor experiência no uso do nosso site. Ao continuar sua navegação, você concorda com os nossos Termos de Uso.