Aba 1

Postado em 22 de Março às 21h06

No Dia Mundial da Água, Papa pede ação rápida Contra a Poluição e Desperdício

Destaque (82)
Diocese de Chapecó/SC O dia 22 de março é conhecido como o dia mundial da água. Neste ano, o tema é "Valorizar a água", com o objetivo de conscientizar a população sobre o...

O dia 22 de março é conhecido como o dia mundial da água. Neste ano, o tema é "Valorizar a água", com o objetivo de conscientizar a população sobre o desperdício desse bem tão importante para a saúde e sobrevivência de todos.

"Para nós, a 'irmã água' não é uma mercadoria: é um símbolo universal e uma fonte de vida e saúde" diz Papa Francisco. Ele ainda reforça que a água potável e o saneamento devem ser garantidos para todos "Eu lhes asseguro que aqueles que não têm água para cozinhar, para a higiene pessoal, mas também para serem tratados adequadamente no hospital, entendem muito bem o valor da água."

Conforme informações do Vatican News e das Nações Unidas, atualmente mais de 2 bilhões de pessoas têm algum tipo de problema com o acesso regular, a quantidade e qualidade adequadas de água potável, e mais ou menos 4 bilhões de pessoas têm problema com saneamento.

Responsabilidade e cuidado com a água estão no centro da mensagem assinada em nome de Francisco pelo Secretário de Estado, Pietro Parolin. No entanto, observa o cardeal "este recurso não foi tratado com o cuidado e a atenção que merece. Desperdiçá-la, negligenciá-la ou poluí-la é um erro" que ainda hoje se repete.

Questões críticas: água insalubre, mudanças climáticas, exploração


Existem vários problemas relacionados à água no século XXI. O primeiro é o acesso à água potável segura que ainda não está ao alcance de todos. A água - recorda o Papa na Laudato si' - é "um direito humano básico, fundamental e universal, [...]”, porém, a população tem se mostrado indiferente quanto ao desperdício de água e esgotamento desse recurso, que resulta também no aquecimento global.

Sobriedade e solidariedade nos estilos de vida e na linguagem

Em sua mensagem, o cardeal Parolin indica que devemos nos referir ao uso de água sensato, de acordo com nossas reais necessidades e respeitando as dos outros. “Por exemplo, se protegermos as áreas úmidas, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa, possibilitaremos a irrigação de pequenos proprietários e melhoraremos a resiliência nas áreas rurais, e assim as comunidades de baixa renda, que são as mais vulneráveis no abastecimento de água, se beneficiariam e seriam retiradas de sua prostração e negligência", afirma o Cardeal.

O acesso à água potável e ao saneamento adequado reduzem o risco de contaminação de alimentos e a propagação de doenças infecciosas. Parolin afirma que a colaboração entre os Estados, setor público e privado é necessária, assim como a contribuição das organizações intergovernamentais, e que há uma necessidade urgente de "cobertura legal obrigatória e apoio sistemático e eficaz" para garantir água de igual qualidade e quantidade em todo o mundo. 

 

Fonte: Vatican News

Veja também

Campanha solidária "O meu próximo" mobiliza doações em Xaxim05/05/20 Neste tempo de pandemia a solidariedade tem sido uma marca das comunidades. Uma das ações que gerou frutos na diocese, foi realizada na paróquia São Luiz Gonzaga, de Xaxim. A Campanha "O meu próximo", teve início no segundo domingo de Páscoa, em abril, atendendo ao apelo do Papa Francisco que destacou este momento como propício para acolher a......
Novas Orientações da Diocese sobre CORONA VÍRUS16/03/20 Nesta segunda-feira, 16, dom Odelir José Magri, MCCJ, repassou mais algumas orientações para a diocese para prevenção a propagação do CoronaVírus *COVID 19. COMPARTILHE E NOS AJUDE NA......

Voltar para Notícias


Uso de Cookies

Nós utilizamos cookies com o objetivo de oferecer a melhor experiência no uso do nosso site. Ao continuar sua navegação, você concorda com os nossos Termos de Uso.