Aba 1

Postado em 02 de Julho de 2020 às 22h48

É tempo de Cuidar: Paróquia de Saudades intensifica trabalho permanente de apoio a migrantes durante a pandemia

Diocese (39)
Diocese de Chapecó/SC Desde o início deste ano (2020) começamos um trabalho de acolhida e amizade a todas as pessoas migrantes vindos das diferentes regiões do Brasil e de outros países (Venezuela e Haiti) que...

Desde o início deste ano (2020) começamos um trabalho de acolhida e amizade a todas as pessoas migrantes vindos das diferentes regiões do Brasil e de outros países (Venezuela e Haiti) que vão chegando à nossa cidade, aproximando-nos para conhecer sua realidade e as necessidades que apresentam. A Pastoral criou um plano de atividades e objetivos, mas nós nos vimos desafiados com a Pandemia do Covid 19 que atinge o mundo inteiro. 

O maior problema que percebemos, e que nossos próprios irmãos estrangeiros manifestaram, foi a preocupação pelo frio ao qual eles não são acostumados. Desde aí iniciamos uma trabalho social de arrecadação de roupas de inverno, cobertores, agasalhos, algumas camas, eletrodomésticos e móveis, que recebemos de doação dos paroquianos. Não temos um número atualizado ou um levantamento de migrantes que chegaram à cidade neste ano, mas sabemos que os primeiros que chegaram foram 5 haitianos em 2017 e 18 venezuelanos em 2019. Hoje tem aproximadamente de 500 estrangeiros na cidade, morando de 2 a 5 famílias por casa e, cada semana vão chegando mais e mais, com o objetivo de criar estabilidade, trabalho e futuro para os filhos.

A realidade na qual o mundo e nossa cidade se encontram diante da pandemia, é terrível, porque a vida se vê devastada e com perdas de familiares e amigos que faziam muito pela sociedade. Mas hoje mais do que nunca, nossa Fé nos mantém em pé e mobiliza a ir ao encontro de nosso próximo, que precisa de compaixão, cuidado e escuta. Sair de um país por causas políticas ou devastações naturais, não é fácil, é viver uma pandemia de violência, de preconceito, medo, isso nos mostra no depoimento de um migrante dizendo “essa pandemia do coronavírus, não é nada diante do que nós já vivemos, medo não temos, mais medo tínhamos quando nos perseguiam para matar ou bater, nós já sabemos como enfrentar essa pandemia, coisa que o resto da sociedade nem pensa como é, hoje nós somos mais fortes e Deus está conosco”.

Nossa atividade social não é somente melhorar a qualidade de vida, mas, sim melhorar a nossa escuta, não ter medo de conhecer o próximo, e romper nossos preconceitos com aqueles que acreditamos que são migrantes, e que em verdade são nossos Irmãos. Por que não temos visto maior Fé que aquela que eles carregam. 


Pastoral da Acolhida e Migrantes | Paróquia Sagrada Família, Saudades

Veja também

31ª Edição do Curso de Verão destaca a ética e participação popular na política14/12/17 De 09 a 17 de janeiro de 2018 será realizada o 31ª Curso de Verão do Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular (CESEEP). Com o tema “Ética e participação popular na política a serviço do bem comum”, através de debates e palestras o curso de verão deste ano tem como......
36ª Semana do Migrante pela Diocese de Chapecó18/06 A Igreja do Brasil celebra de 13 a 20 de junho (dia do refugiado) a 36ª Semana do Migrante, que em 2021, tem como tema “Migração e diálogo”, e como lema “Quem bate à nossa porta?”. Para auxiliar no......
Mês da Bíblia 2018: Uma reflexão sobre o Livro da Sabedoria05/09/18 Desde 1971, a Igreja do Brasil instituiu o Dia Nacional da Bíblia e o Mês da Bíblia, que se difundiram em outros países, com o objetivo de despertar nas famílias e comunidades a necessidade de fazer da Bíblia a fonte......

Voltar para Notícias


Uso de Cookies

Nós utilizamos cookies com o objetivo de oferecer a melhor experiência no uso do nosso site. Ao continuar sua navegação, você concorda com os nossos Termos de Uso.