Aba 1

Postado em 07 de Fevereiro às 08h45

Cantar a liturgia do Sacramento da Penitência

Artigos (8)
Diocese de Chapecó/SC “Reconciliai-vos com Deus.” (2Cor 5,20) Em nosso último artigo, escrevemos sobre cantar a liturgia do Sacramento da Ordem. Neste, aprofundamos sobre o cantar a liturgia do Sacramento da...

“Reconciliai-vos com Deus.” (2Cor 5,20)

Em nosso último artigo, escrevemos sobre cantar a liturgia do Sacramento da Ordem. Neste, aprofundamos sobre o cantar a liturgia do Sacramento da Penitência, recordando-nos de que Jesus Cristo, pela morte e ressurreição, tornou-se reconciliação entre Deus e os homens (cf. Rm 5,10). Este mistério da reconciliação, conforme a Sagrada Congregação para o Culto Divino, “foi sempre confiado à Igreja pelo Senhor, na pessoa dos Apóstolos (2Cor 5,18ss), e ela o realiza levando aos homens a boa nova da salvação e batizando-os na água e no Espírito Santo (cf. Mt 28,19)” (cf. Ritual da Penitência, p. 9).

Na celebração do Sacramento da Penitência, que é um sacramento de cura, nós nos reencontramos em nossa dignidade original de filhos e filhas amados de Deus, de nação de reconciliados com o amor misericordioso de Deus. Retomando o caminho da Vida, somos acompanhados pelo Espírito do Senhor e recobramos nossas forças para vencer o mal que acompanha a realidade humana e nos separa do Senhor. Por isso, na celebração desse sacramento cantamos a dor, o arrependimento do pecador que se distanciou da comunhão com Deus e quer retomar sua vivência batismal. Após a reconciliação, canta-se “louvor a Deus pelas maravilhas realizadas em favor do povo que adquiriu com o sangue de seu Filho” (cf. Ritual da Penitência, p. 22). Talvez esse seja o fundamento para muitos dizerem que a penitência é a irmã do batismo.

Para mergulhar nesse mistério, é primordial a boa preparação da celebração do Sacramento da Reconciliação. Há “diversos elementos que merecem nossa atenção: as pessoas, os ritos, o lugar, os ministros, o tempo e a música. A familiaridade com o Ritual da Penitência – com sua riqueza e diversidade de propostas de celebração, de textos bíblicos e de orações – é indispensável para uma boa preparação” (Frei Gabriel José de Lima Neto - OFM, Cantar a reconciliação, 2010).

Partindo do calendário litúrgico, temos um tempo privilegiado para a misericórdia que é a quaresma. Não que os outros tempos não o sejam, porque a misericórdia de Deus é eterna (Sl 136/135). Porém, o tempo quaresmal é mais oportuno para a celebração do sacramento, porque, desde a Quarta-Feira de Cinzas, ressoa o solene convite ao povo de Deus: “Fazei penitência e crede no Evangelho” (cf. Ritual da Penitência, n. 13). Assim, na escolha dos cantos para a Celebração do Sacramento da Reconciliação seja observado, portanto, o tempo litúrgico, a Palavra de Deus proclamada na qual ecoa o feliz convite à conversão, os ritos, a assembleia celebrante, a realidade da vida que vai sendo celebrada. Ou seja, os cantos precisam estar em sintonia com o que se está celebrando – contrição, confissão, misericórdia.

Desejosos de aproximar-nos da riqueza da celebração do Sacramento da Reconciliação e colher seus frutos durante toda a caminhada do ano litúrgico, reiteremos o zelo com a preparação desta celebração, pois se trata do “momento em que sentimos o abraço do Pai que mostra o caminho da conversão a Ele e convida a experimentar de novo a Sua proximidade” (cf. Papa Francisco, Carta Apostólica Misericordia Et Misera, n. 16). Porque “o amor vence tudo” (cf. 1Cor 13,7).

Pe. Francisco Xavier Buehrmann

Coordenação Diocesana da Liturgia

Veja também

CAMPANHA DA FRATERNIDADE – POR QUE A VIDA?28/02 A Campanha da Fraternidade (CF), nos outros anos, abordava um problema da vida social, ou uma situação da vida humana. Neste ano, trata da própria vida. Somos animados, nesta quaresma, a nos converter ao projeto de Deus, vivendo a vida como dom e fazendo de nossas vidas um compromisso com a vida dos irmãos e irmãs. O que temos de mais importante na vida é a vida. E esta vida......
Conforto térmico nas Igrejas, o que fazer?07/02 É muito desagradável participar de uma celebração num ambiente abafado, tendo que se abanar de tanto calor. Até hoje encontramos igrejas que são construídas a partir de projetos vindos da Europa. Como......
CF 2020: MENOS PURITANOS E MAIS SAMARITANOS04/03 A frase do lema desta CF -“Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,34) - é parte da parábola do “Bom Samaritano”, contada por Jesus ao “ensinador” da Lei. Este iniciou perguntando “o que devo......

Voltar para Notícias