Aba 1

Postado em 30 de Maio às 16h25

A Solenidade de Corpus Christi

Destaque (25)
Diocese de Chapecó/SC A origem da Festa A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula `Transiturus? de 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima...

A origem da Festa

A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula `Transiturus? de 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, o que acontece no primeiro domingo depois de Pentecostes. Da cidade de Liége, na Bélgica, o Papa recebeu o segredo das visões de uma jovem freira agostiniana, Juliana de Mont Cornillon. Ela afirmou ter visto a Virgem Maria pedindo a realização de uma grande festa para honrar o corpo de Jesus na Eucaristia; e que tal festa fizesse parte do Ano Litúrgico.

A festa começou, pois, na paróquia de Saint Martin em Liége, em 1230, com a autorização do Papa Urbano IV. Foi o cônego Tiago Pantalião de Troyes, arcebispo do Cabido Diocesano de Liége na Bélgica, que a realizou dentro da Igreja. Em 1247, aconteceu a primeira procissão pelas ruas de Liége, já como festa da diocese. Em seguida, se tornou festa Nacional. A festa mundial foi decretada em 1264. Celebra-se Corpus Christi com uma tríplice finalidade: honrar Jesus Cristo, pedir perdão a Jesus pelo que foi feito a ele e protestar contra aqueles que negam a presença de Cristo na hóstia consagrada.

A celebração obrigatória e pública pelas ruas de todo o mundo católico aconteceu com o decreto Transiturus de Urbano IV. Mas, em vista da morte do Papa logo em seguida, teve pouca repercussão. Propagou-se por algumas Igrejas, como na diocese de Colônia na Alemanha, onde Corpus Christi era celebrada ainda antes de 1270. Corpus Christi tomou seu caráter universal definitivo com Urbano IV.

O Concílio de Trento (1545-1563), por causa da Reforma de Lutero e dos que negavam a presença real de Cristo na Eucaristia, fortaleceu o decreto da instituição da Festa de Corpus Christi, obrigando o clero a realizar a Procissão pelas ruas das cidades, como ação de graças pelo dom supremo da Eucaristia e como manifestação pública da fé na presença real de Cristo na Eucaristia.

Em 1083, o novo Código de Direito Canônico – cânon 944 – mantém a obrigação de se manifestar o testemunho público de veneração para com a Santíssima Eucaristia, devendo realizar-se, onde possível, com procissão pela vias públicas’ (...).

De acordo com a Igreja, durante a missa, no momento em que o sacerdote proclama as palavras "Isto é o meu corpo e isto é o meu sangue", ocorre o ato da transubstanciação. Por ele, a substância do pão e do vinho se transforma no corpo e sangue de Cristo, que permanece após a consagração. Este é o momento mais importante de toda a celebração de Corpus Christi. Outro ponto forte da celebração da celebração é a procissão. Para tanto, são confeccionados tapetes coloridos, feitos com os mais variados materiais, como papel, serragem, isopor, (...). Nos tapetes são colocados desenhos que lembram a figura de Jesus, o cálice e o pão.


No Brasil, algumas procissões são famosas, como a da cidade histórica de Ouro Preto (MG). As cidades do interior da Brasil que se destacam são: Matão (SP), que realiza umas das procissões mais famosas do Brasil; Rodeio (SC) e outras.

Portanto, a solenidade surgiu, porque a Igreja sentiu a necessidade de realçar a presença real do "Cristo todo" no pão consagrado. Esta necessidade se aliava ao desejo do homem medieval de ?contemplar? as coisas. Surge nessa época o costume de elevar a hóstia depois da Consagração. Esse gesto deu origem a uma controvertida piedade eucarística, chegando ao ponto de as pessoas irem à Igreja mais para ?verem? a hóstia do que participarem efetivamente da Eucaristia.

BIBLIOGRAFIA
1. ADITAL. A Origem da festa: o sonho de uma jovem menina de Liége, Fernando Altemeyer Júnior.
2. HTTP://pessoas.hsw.com.br/corpus-christi.htm.
3. HTTP://www.vivos.com.br/157.htm.


Pe. Alceu Pimentela | Vargeão

Veja também

Agosto: “Cada Comunidade Uma Nova Vocação”, por dom Odelir Magri31/07 Durante a 56ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), foi apresentado a todo o episcopado a ação evangelizadora “Cada Comunidade uma Nova Vocação”. O projeto, iniciado pelas dioceses dos Regionais Sul 2, Sul 3, Sul 4 da CNBB e as dioceses de Osasco (SP), Tefé (AM) e Bafatá, no continente africano, tem o intuito de suscitar......
CNBB divulga mensagem oficial sobre as Eleições 201820/04 “Ao abdicarem da ética, muitos tornaram-se protagonistas de um cenário desolador”, afirmam bispos. Um dos documentos mais esperados da 56ª Assembleia Geral da CNBB foi a mensagem sobre as eleições deste ano de......
CNBB Sul 4 lança arte comemorativa ‘Rumo aos 50 anos’03/09 Dentro do processo preparatório para a celebração dos 50 anos de instalação do Regional Sul 4 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), na abertura da 51ª Assembleia Regional de Pastoral, foi......

Voltar para Notícias