Aba 1

Postado em 14 de Dezembro de 2017 às 14h05

31ª Edição do Curso de Verão destaca a ética e participação popular na política

Diocese (39)

De 09 a 17 de janeiro de 2018 será realizada o 31ª Curso de Verão do Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular (CESEEP). Com o tema “Ética e participação popular na política a serviço do bem comum”, através de debates e palestras o curso de verão deste ano tem como objetivos:
– compreender o momento atual;
– resgatar os pilares do exercício da política;
– motivar a participação popular e sua organização, a serviço do bem comum;
– articular fé e política;
– cobrar o agir ético de todos os atores públicos,
– descortinar um horizonte de esperança.

No convite a organização do curso destaca como principal motivação para o tema os seguintes pontos: “A vida política do Brasil saiu de aparente apatia com as manifestações de rua, em julho de 2013. Foram seguidas pelos confrontos pró e contra o impeachment presidencial, pela ocupação das escolas pelos estudantes secundaristas e o surgimento de novos movimentos e partidos políticos.

A grande mídia teve decisiva influência no aprofundamento de um clima de acirramento das posições políticas e de intolerância nos debates. Deu apoio ao golpe parlamentar e respalda a repressão aos movimentos sociais e retrocessos nos direitos e conquistas sociais. Está sendo, porém, confrontada por toda uma mídia alternativa e por denúncias e mobilizações nas redes digitais. Com a operação Lava Jato o Judiciário pareceu acordar de sua lentidão. O combate à corrupção no sistema político ganhou força e apoio na sociedade, levando ao banco dos réus o conluio criminoso entre políticos, partidos e empresários. A Lava Jato, por sua vez, recebe críticas pelo atropelo das garantias constitucionais dos acusados, cerceamento da defesa, espetacularização das investigações, vazamento seletivo das delações premiadas e politização partidária de membros do ministério público e do judiciário.

A privatização da esfera pública e a busca por parte dos políticos e funcionários de vantagens e privilégios para si, seus familiares e clientela transformou boa parte da vida política num sistema de troca de favores alimentado por privilégios e corrupção. Com isso, a avaliação do parlamento e dos políticos em geral caiu a nível tão baixo que abriu caminho para a desqualificação do exercício da política e do regime democrático, com vozes não tão isoladas, clamando por ditadura e retorno dos militares ao poder.

Nas últimas eleições municipais, o elevado índice de abstenções e de votos brancos e nulos superou, em muitos lugares, o número de votos dados aos candidatos eleitos, revelando perigoso desencanto com a política e levando à fragilização dos mandatos de prefeitos e vereadores.

Se de um lado, muitos jovens assumiram suas responsabilidades na esfera pública; de outro, muitas pessoas, decepcionadas, não se veem mais como cidadãos e cidadãs atuantes, mas apenas como consumidores avessos à vida política.

Você e sua comunidade, grupo ou pastoral estão convidados a entrar no mutirão para a reconstrução da política como serviço ao bem comum.”

Veja também

36ª Semana do Migrante pela Diocese de Chapecó18/06 A Igreja do Brasil celebra de 13 a 20 de junho (dia do refugiado) a 36ª Semana do Migrante, que em 2021, tem como tema “Migração e diálogo”, e como lema “Quem bate à nossa porta?”. Para auxiliar no atendimento de nossos irmãos migrantes, a Diocese de Chapecó conta com a Pastoral do Migrante, que atende diariamente migrantes de Chapecó e......
Plano Diocesano de Pastoral: conhecer para assumir11/03/20 No triênio 2017 a 2019, como Povo de Deus da Diocese de Chapecó, trilhamos um intenso processo celebrativo rumo ao jubileu de diamante da nossa Diocese. Muitas ações evangelizadoras foram construídas neste tempo jubilar,......

Voltar para Notícias


Uso de Cookies

Nós utilizamos cookies com o objetivo de oferecer a melhor experiência no uso do nosso site. Ao continuar sua navegação, você concorda com os nossos Termos de Uso.